Advogado e ex-assessor de Georgeo Passos aciona justiça cobrando 300 mil. Deputado nega

    3
    879

    ARACAJU, SE (POLÍTICA A JATO) – O advogado José Cássio dos Santos moveu uma ação de cobrança em face do deputado estadual, Georgeo Passos(CIDADANIA), exigindo o pagamento de uma dívida de 300 mil reais.

    A dívida é referente aos trabalhos realizados na campanha eleitoral do parlamentar em 2014 e durante o período em que Cássio atuou como assessor parlamentar do deputado, bem como durante a campanha de Antônio Passos a prefeito de Ribeirópolis.

    Segundo consta na ação, o advogado chegou a afirmar que recebia da ALESE um determinado valor e repassava uma parte ao parlamentar como uma espécie de caixa dois.

    Cássio, no entanto, explica que eram dívidas as serem ressarcidas, pagas em momento oportuno, e que não se tratava de improbidade administrativa.

    O advogado é o mesmo que foi preso em 2017 sob a alegação de ter estuprado a própria esposa. Foi justamente nessa época que ele foi exonerado do cargo de assesor de Georgeo e que começou sua luta para receber sua dívida.

    Ele afirma ainda que após a sua prisão, o deputado admitia a terceiros que tinha uma dívida, mas só pagaria quando Cássio saísse da cadeia.

    Ademais, narra ainda o declarante que Georgeo chegou até a afirmar que iria até o presidio para conversar e encontrar uma forma de pagamento.

    No entanto, segundo Cássio, mesmo após a sua saída da cadeia e o agravamento do seu estado de saúde, Georgeo se negava a quitar o débito.

    O advogado acostou no bojo da ação notas fiscais emitidas por ele ao deputado, bem como recibos do escritório de advocacia, relação das audiências e demais serviços prestados a Georgeo com o intuito de receber depois.

    O Política a Jato entrou em contato com o deputado Georgeo, que afirmou desconhecer da ação, mas confirmou que Cássio ocupou cargo de comissão em seu gabinete.

    No entanto, o parlamentar informou que não procede a devolução de dinheiro e que exonerou o advogado porque ele havia sido preso por estupro.

    Acrescentou ainda que não contraiu dívida com Cássio e nem contratou os serviços do escritório de advocacia, mas que aguardará a notificação da justiça para se defender das acusações.

    O processo se iniciou na 6° Vara Cível de Aracaju e foi redistribuído para a 13° Vara Cível.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui