Bolsonaro pretende aumentar vazão da CHESF para empurrar óleo para o mar

    0
    442
    SAMSUNG CAMERA PICTURES

    BRASÍLIA, DF (EXAME) – O governo federal, através de técnicos que monitoram o avanço das manchas de petróleo no Nordeste, analisa a possibilidade de aumentar a vazão das usinas hidrelétricas do Rio São Francisco para evitar que o óleo avance para dentro do curso de água.

    O material já foi encontrado na foz do rio, na divisa de Alagoas e Sergipe.

    Como a água do mar avança diversos quilômetros rio adentro nos horários de baixa, a ideia é liberar maior volume das hidrelétricas para evitar esse deslocamento.

    Nesta sexta-feira, 11, uma sala de acompanhamento da operação do Sistema Hídrico do Rio São Francisco teve uma reunião extraordinária na sede da Agência Nacional de Águas (ANA), e por videoconferência, para discutir o assunto.

    Nessa reunião, representantes de Alagoas e Sergipe apresentaram a situação de momento na região da desembocadura do São Francisco atingida pela mancha, além das medidas que são tomadas para minimizar os impactos constatados no Baixo São Francisco.

    O Rio São Francisco nasce na Serra da Canastra (MG) e chega ao Oceano Atlântico, entre Alagoas e Sergipe, após se estender por, aproximadamente, 2.800 quilômetros, passando por Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui