Dr. Robson denuncia prefeito Diogo Machado por irregularidades em licitação

0
516

CARIRA, SE (POLÍTICA A JATO) – O médico e ex-candidato a prefeito de Carira, Dr. Robson, resolveu levar ao conhecimento do Ministério Público o que ele acredita ser um crime contra os cofres públicos.

Dr. Robson acusa Diogo Machado, atual prefeito do município, de cometer diversas irregularidades no que tange a contratação de empresa sem respeitar legalmente o processo de licitação.

Na denúncia, o médico afirma que a dispensa de licitação 02/2021 há ausência de cumprimento do chefe do poder executivo municipal em manter em no site da prefeitura informações sobre a publicação inerentes ao procedimento administrativo e que impossibilita o cidadão de acompanhar as despesas e contratações realizadas pelo poder público.

Mais adiante, Dr. Robson diz que nada foi publicado no diário oficial do município e a contratação da empresa por prazo injustificado leva a crer que pode se tratar de uma empresa laranja.

A empresa que foi contemplada foi a QAMP SERVICOS DE CONSTRCOES EIRELI, inscrita no cnpj nº31.922.997/0001-60, localizada no Bairro Caminho da Flores, Av Tancredo Neves 909, Ed. André Guimarães Bunsiness, Sala 1212, Salvador, Bahia , ou seja, em município e estado diverso do local de execução, o que, para Dr. Robson aponta uma certa dúvida de sua idoneidade, uma vez que se é adotada a DL o poder público de costume contrata uma empresa local, em que é garantida a execução do serviço, evitando a fraude ao erário público.

“É muito suspeita a escolha de uma ME para a execução de um serviço que já ultrapassa o empenho de R$ 1.300.000,00 (um milhão e trezentos mil), e que naturalmente a mesma não teria porte para cumprir”, disse o médico.

Segundo a denúncia, em uma breve vistoria na execução do serviço efetuado pela QAMP em frente ao Colégio ILDA foi possível avistar caminhões de lixo com plotagem da QMG de placas policial QMG 4522, QME 6335, além de trabalhadores que vestiam uniforme da referida empresa.

No entanto, ao fazer uma breve consulta das referidas placas, percebeu-se que os caminhões que trabalham para a QAMP são de propriedade do próprio município.

“É a partir deste fato que gera desconfiança na conduta do gestor público, que paga vultuosas quantias, de R$ 1.391.167,27 (um milhão trezentos e noventa e um mil, cento e sessenta e sete reais e vinte e sete centavos) para a execução de limpeza pública, no entanto se utiliza dos próprios meios para a execução dos serviços”, afirma Dr. Robson.

Ademais, de acordo com Robson, não se tem comprovação dos metros cúbicos de arvores podadas para justificar tal soma paga a empresa, já que fora contratada para esse fim.

“Por isso, transparece que tal situação vem servindo tão somente para justificar o desprendimento de numerários públicos com fins de enriquecimento ilícito do gestor”, explica o médico. O Ministério Público deverá investigar os fatos narrados na denúncia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui