Líder do PSL na Câmara diz que presidente Bolsonaro tentou comprar deputados com cargos

    0
    294

    BRASÍLIA, DF, (G1) – A semana termina em Brasília ainda sob impacto da crise no PSL. Nesta sexta (18), o líder do partido na Câmara acusou o presidente Jair Bolsonaro de comprar apoio de deputados.

    O presidente Jair Bolsonaro não quis comentar a crise do PSL ao sair logo cedo do Palácio da Alvorada. Mas, ao contrário do que chegou a ser especulado, afirmou que mantém o plano de indicar o filho, deputado Eduardo Bolsonaro, embaixador do Brasil em Washington: “por enquanto, sem alteração”.

    A indicação de Eduardo Bolsonaro tem que ser aprovada pelos senadores, e com a crise está cada vez mais difícil conseguir o número de votos necessários. E ele está no centro da disputa de poder no partido. O líder do PSL no Senado, Major Olímpio, segue em pé de guerra com Eduardo e os outros dois filhos do presidente: o vereador licenciado, Carlos Bolsonaro, e o senador Flávio Bolsonaro.

    Major Olímpio, com ironia, disse que preferia ver não apenas Eduardo, mas os três no exterior, longe do presidente: “em vez de ter uma embaixada para um, se a gente arrumasse três embaixadas e os três ficassem três anos fora do Brasil, o presidente iria avançar em muito com as coisas. Ele tinha sossego”.

    A declaração do senador foi feita antes do início de uma reunião da executiva nacional do PSL. A deputada Joice Hasselmann, também participou. Na quinta (17), ela foi destituída do cargo de líder do governo no Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro, porque ficou contra o filho Eduardo na frustrada tentativa de destituir o Delegado Waldir da liderança do PSL na Câmara.

    Ela chamou Eduardo de “menino” e o presidente de “ingrato”: “foi ingrato, mal-educado, pelo menos, porque eu fiquei sabendo pela imprensa. Mas eu conheço o jeitão e não esperava nenhum tipo de gentileza ou fidalguia. Eu conheço, eu sei quem é o presidente. Eu não vou sacrificar a minha palavra e a minha honra por conta de dois meses na liderança botando um menino na liderança que não consegue nada sozinho. Nem com a ajuda do pai conseguiu a maioria para estar líder do PSL”.

    Eduardo Bolsonaro rebateu Joice numa rede social. Ele postou uma nota de três reais com o rosto da deputada, para chamá-la de falsa. Já o Delegado Waldir voltou a acusar o presidente Bolsonaro nesta sexta. Ao se referir à gravação da conversa do presidente com um parlamentar, disse que Bolsonaro tentou comprar deputados para colocar o filho Eduardo na liderança do PSL: “a questão da implosão era o áudio que foi divulgado parcialmente, da fala do presidente, tentando comprar parlamentares. Tentando comprar parlamentares ao oferecer cargos e o controle partidário para esses parlamentares que votassem a favor do filho do presidente, Eduardo”.

    Na reunião do PSL, o presidente do partido Luciano Bivar mostrou poder. Aumentou de 101 para 153 o número de vagas na executiva nacional. Aprovou também punição a cinco deputados que estiveram na linha de frente das críticas contra ele na disputa pelo comando da legenda com o presidente Bolsonaro: Carla Zambelli, Bibo Nunes, Ale Silva, Felipe Barros e Carlos Jordy. Eles serão suspensos das atividades parlamentares, como participar de comissões na Câmara e representar o partido. Ficarão proibidos ainda de assinar lista de apoio para tentar, mais uma vez, colocar Eduardo Bolsonaro no lugar do Delegado Waldir na liderança.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui