Prefeita de Riachuelo suspendeu programas assistenciais, mas não reduziu contrato milionário com empresa LOC

    0
    318

    RIACHUELO, SE (POLÍTICA A JATO) – A população de Riachuelo está na bronca com a prefeita Cândida Leite (PMDB), que não tem movido esforços para contornar a crise, ocorrida por conta da extinção dos Royalties do Gás.

    A gestora suspendeu benefícios essenciais como o Bolsa Gestação e o auxílio alimentação como a entrega de cestas básicas.

    Além disso, houve demissão de vários funcionários contratados da empresa LOC e ainda há previsão de novas exonerações. Hoje mesmo cinco pessoas já foram demitidas.

    O problema maior é que, diante das reduções de gastos, o município não reduziu também o contrato milionário com a própria empresa LOC Construções e Empreendimentos.

    A empresa consome dos cofres públicos um valor mensal de mais de 377 mil reais que, levando em conta o valor global anual dá mais de 4 milhões de reais para os pagadores de impostos.

    Para piorar, a população indaga a prefeita o porquê de não usar o caminhão compactador, adquirido via emenda do ex-deputado André Moura, e dispensar o serviço da LOC.

    Há relatos também de que a LOC estaria realizando limpeza de uma área considerada território de Divina Pastora sem sequer haver acordo com o prefeito Dr. Sílvio.

    Ou seja, para os moradores, a prefeita tem gastado valores milionários com uma empresa prestando serviços em uma outra cidade e, ainda por cima, cortando os benefícios essenciais da população.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui