MP apura suposto assédio moral perpetrado pela secretária de governo de São Cristóvão

    0
    837

    SÃO CRISTÓVÃO, SE (POLÍTICA A JATO) – Um servidor do município de São Cristóvão protocolou Notícia de Fato de nº24.20.01.0023 na ouvidoria do Ministério Público de Sergipe, para que o órgão apure a conduta da secretária de governo, Paola Santana.

    De acordo com a denúncia, Paola Santana, que é filha do prefeito Marcos Santana, estaria assediando moralmente os servidores efetivos e comissionados do município, principalmente da Fundação de Cultura e Turismo.

    Além disso, o MP vai verificar se há desvio de função, corte no salários e o não fornecimento de Equipamento Individual de Proteção (EPI) para vários profissionais.

    Segundo o denunciante, alguns servidores da Fundação de Cultura e Turismo estão sendo obrigados a exercer função estranha as suas atribuições. Ou seja, estão sendo realocados na secretaria de saúde para o enfrentamento da Pandemia do novo Coronavírus.

    “Recebemos uma convocação não oficial de última hora, intimidando os servidores efetivos e comissionados a desvio de função. Alegando que a Fundação não tem serviço para prestar neste momento, obrigando a irmos a Secretaria da Saúde fazer a função de TeleMarketing, passar informações sobre o (covid-19) sem nenhum tipo de treinamento, podendo causar algum transtorno ou até pânico na população de São Cristóvão”, diz o servidor na denúncia.

    A outra filha do prefeito, que também é secretária no município, a Fernanda Santana, também foi mencionada na denúncia.

    “Além disso, a secretátria Fernanda Santana, filha do Prefeito, nos constrangeu ao falar que somos pagos pela população local e, temos obrigação de prestar serviço para o mesmo, utilizando da sua prerrogativa”, afirma o denunciante.

    A Promotoria de Justiça Especial de São Cristóvão afirma que as informações constantes do documento exigem mínima investigação, quiçá com outiva de Testemunhas.

    O MP determinou então a juntada de documentos, bem como a indicação de testemunhas e outras provas para que os fatos narrados sejam devidamente investigados.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui