Manoel de Rosinha é denunciado por suposto uso político na Emdagro

0
365

PORTO DA FOLHA, SE (POLÍTICA A JATO) – O ex-prefeito de Porto da Folha, Manoel de Rosinha (PT), prestou depoimento em audiência virtual do Ministério Público nesta terça-feira (01), para se defender de uma denúncia anônima de que ele estaria fazendo uso político da Emdagro em troca de votos.

Segundo consta na denúncia anônima encaminhada à Ouvidoria do Ministério Público, um áudio que circula no WhatsApp mostra que supostamente Manoel de Rosinha estava facilitando a emissão de DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf) a um cidadão que queria se aposentar.

O denunciante alega que a sede da Emdagro de Porto da Folha está sendo palco de articulações políticas do ex-prefeito Manoel com o também servidor Marcos Augusto que, coincidentemente, confirmou em audiência que é filiado ao mesmo partido de M. De Rosinha.

O MP quer saber se houve prática de ato de pré-campanha vedado pela legislação eleitoral, bem como abuso do poder político por parte do ex-gestor, já que sua esposa Rita pode ser indicada a vice na chapa do pré-candidato Dr. Júlio.

No seu depoimento, Manoel de Rosinha afirmou ser técnico agrícola na Emdagro desde 1985 e negou que tenha usado indevidamente a Endagro. No entanto, confirmou que emite DAPs em todo território de Porto da Folha.

Perguntado se o seu partido, o PT, poderia lançar candidatura a prefeito, Manoel respondeu afirmando que a sigla caminhará com o Podemos de Dr. Júlio, com convenção marcada para o dia 13 de setembro.

Após a audiência desta terça, o MP deverá iniciar uma série de coletas de provas, bem como convocar mais pessoas para prestarem esclarecimentos acerca dos fatos narrados na denúncia.

O ato vedado pela legislação poderá acarretar em uma série de punições como multa, indeferimento de registro ou cassação do diploma do candidato infrator.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui